quinta-feira, 26 de novembro de 2009

AQUECIMENTO GLOBAL AFETA AGRICULTURA BRASILEIRA

Pela primeira vez na história, onze das maiores instituições de pesquisa do país se reuniram para mapear os efeitos do aquecimento global na economia brasileira. Os números são preocupantes.Fizeram esse trabalho a Embrapa, o Inpe, a USP, a Unicamp, a Fundação Coppe, da UFRJ; Fiocruz, Fipe, Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia; a Cedeplar da UFMG, Fundação Brasileira para o Desenvolvimento Sustentável e o Ipea.

Choque: de um lado, a floresta, a preservação. Do outro, a agricultura, a necessidade da alimentação. No meio, as mudanças climáticas.

Só este ano, sete mil quilômetros quadrados de florestas foram derrubados em todo o país. As cidades avançam. Na década de 1950, oito de cada dez brasileiros viviam no campo. Agora, há 80% da população nos centros urbanos. A cidade cresce, empurra a fronteira agrícola, avança sobre o verde das matas. A devastação das florestas fez do Brasil o quinto maior emissor de gás de efeito estufa do mundo. O clima muda e é a própria agricultura a maior vítima dessa mudança.

Em um cenário de 30 anos nós temos um impacto muito grande da água. Até alguns anos atrás, por exemplo, a água no Brasil simplesmente, não tinha preço. Hoje, para você extrair água da terra ou do rio já paga uma taxa. Os produtos agrícolas que utilizam muita água vão ter um peso maior”, compara o professor da UnB Flávio Botelho. Pesquisas mostram que o aumento da temperatura do planeta vai ter impacto nas atividades agrícolas. Uma das prováveis consequências a longo prazo é a mudança no mapa da agricultura brasileira.

O estado do Ceará pode perder 80% da área fértil. Já Piauí e Pernambuco podem perder entre 60% e 70% da agricultura. No Maranhão, os produtores perderam 16% da soja neste ano por causa da chuva forte. A saída é mudar o método de trabalho.

No estudo "Economia das mudanças do clima", a Embrapa destaca o café como uma das culturas mais prejudicadas pelo aquecimento global. O total da área adequada para o cultivo no Brasil pode diminuir 28% até 2070.


Fonte: Bom Dia Brasil

1 Comentário:

###a.l.#### disse...

Auditoria Ambiental Florestal
Prevenindo passivos - Gerando Lucros
Autor: Julis Orácio Felipe
Descrição :
O risco ambiental é um risco financeiro. Essa expressão reflete bem a importância da auditoria ambiental, notadamente em empresas de silvicultura, ramo industrial importante do Brasil mas muito combatido, na grande maioria das vezes injustamente. Para assegurar a todas as partes interessadas a transparência das operações é importante que tais empresas conduzam auditorias internas e externas de maneira que tenham mais uma ferramenta às mãos para geração de resultados e agregação de valor aos seus produtos. Esse livro norteia os primeiros passos na busca da redução de riscos de operação em empresas florestais.
www.clubedosautores.com.br

Postar um comentário

  ©Template Blogger Green by Dicas Blogger.

TOPO