terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

MEDICAMENTOS GENÉRICOS MAIS CAROS QUE OS DE MARCA


Vi esta reportagem de Giuliano Tamura, no Jornal Nacional desta segunda-feira, e fiquei espantada! Genérico mais caro que remédio de marca? Como a Dona Xepa sempre diz: É preciso pesquisar o preço antes de comprar. Publico abaixo alguns trechos da matéria...

Hoje, de cada cinco remédios comercializados no país, um é genérico, e a proposta de oferecer medicamentos mais baratos à população produziu uma situação curiosa. Os medicamentos genéricos ganharam a preferência do consumidor brasileiro, mas nem sempre eles são os mais baratos encontrados nas farmácias.
Em alguns casos, a diferença de preços entre genéricos e medicamentos de referência passa de 180%. É o caso do Fluconazol, para micose. O remédio de marca custa R$ 7,58, enquanto o genérico está saindo quase pelo triplo do preço. A Azitromicina é outro exemplo. Três comprimidos genéricos do antibiótico custam R$ 24,58 e o medicamento de marca é vendido por menos de R$ 10.
Para os donos de farmácia, tanta diferença tem explicação. "É o cliente que passou a usar mais o genérico, e o de marca, para continuar sendo vendido, teve que se adequar ao preço igual ou até mais barato", declarou o dono de farmácia Álvaro Lima.
O presidente da Associação das Indústrias de Medicamentos Genéricos, Odnir Finotti, concorda. "A tendência é baixar sempre o preço, sempre que tem concorrência, e quanto maior é o número de genéricos para a mesma substância, mais os preços tendem a cair”.
Nessa guerra de preços, pesquisar nunca é demais.

5 Comentários:

Anônimo disse...

Esta foi a notícia mais mentirosa que já vi.
Os medicamentos que foram comparados com os preços dos genéricos, são Similares e não referência.
Se você acessar consultaremedios.com.br, verá que nem flucomed e muito menos clindal, dsão referência.

Anônimo disse...

eu também vi essa notícia e fiquei horrorizada em ver como o JN publica uma reportagem tão absurdamente equivocada. A confusão entre medicamentos de referência e marca é normal entre as pessoas, mas veiculada por um repórter em rede nacional é inadmissível!

Anônimo disse...

Prezada Renata, seria interessante vc pesquisar a diferença entre medicamentos éticos/genéricos, referência/genéricos/similares, antes de fazer uma acusação dessas.
Reportagens pagas são muito comuns na globo...
E o povo não tem acesso, nem interesse em saber a verdade, apenas acreditam no que vêem.
Os laboratórios portadores das marcas patentes referências já estão entrando com pedidos de retratação por parte da emissora globo. Basta vc querer se infomar sobre o assunto ou não. Att. Uma farmacêutica.

Rafaela disse...

Não vi a Reportagem, as ela já esta dando o que falar, foi uma reportegem cheias de erros, e até agora nada de retificarem, eles passaram as informações erradas para os consumidores e não se redimem, um absurdo, pois pessoas menos informadas irão assimilar errado.
Acho que deveriam se retratar com a população e passar a informação correta!

Andre Bello disse...

Vcs devem ter visto na edição do JN 5 FEV uma retratação sobre a matéria. Gostaria de saber o q aconteceu (se um processo judicial, ou pressão política, ou os dois), pois a Globo, muito dissimuladamente fez um pedido de desculpas, mas o fez como se fosse uma nova matéria. Ou seja, escapou pela tangente, inclusive c comentários populares muito tendenciosos, acredito eu q p ocupar um tempo estabelecido p a retratação. Ou seja: escapou pela tangente e o público mais ignorante nem percebeu a mancada...

Postar um comentário

  ©Template Blogger Green by Dicas Blogger.

TOPO